Notícias

Clipping 19/02/2018

Confira no link abaixo a página do Clipping ADUnB, nele você acompanha o registro dos destaques da imprensa. O material pode ser utilizado apenas para consulta sobre o tema e pode ter direitos autorais.

G1
Manifestantes fazem atos pelo país contra a reforma da Previdência
Manifestantes realizam protestos nesta segunda-feira (19) contra a reforma da Previdência. A mobilização foi convocada por centrais sindicais. Em vários estados houve paralisação no transporte no início da manhã e algumas escolas ficaram sem aula.

Sem reforma da Previdência, intervenção no Rio pode ser paliativa, alerta líder do governo
O Congresso Nacional precisa aprovar a reforma da Previdência Social para resolver a crise fiscal da União e dos Estados e, com isso, garantir recursos para aplicação em programas que restabeleçam efetivamente a segurança pública no país.

Correio Braziliense
Dia de paralisação contra a reforma da Previdência ocorre em todo o país
Sindicatos e movimentos contrários à reforma da Previdência realizam, nesta segunda-feira (19/2), uma série de manifestações, em todo o Brasil e na internet, contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que altera as regras de aposentadoria no país.

Istoé Dinheiro
Hashtag ‘QueroMeAposentar’ lidera os trend topics no Twitter Brasil
A hashtag #QueroMeAposentar lidera as menções no Twitter Brasil na manhã desta segunda-feira, 19. O termo é utilizado pelos usuários que protestam contra a reforma da Previdência, e acompanha os posts dos movimentos sociais que realizam manifestação contra o projeto nesta data.

Folha de S. Paulo
Governadores negociaram PEC suplementar à reforma da Previdência
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vinha repetindo que o sucesso da votação da reforma da Previdência estava condicionado à participação de governadores e prefeitos no convencimento de suas bancadas no Congresso. Não era apenas discurso. Existia uma articulação mais ampla, segundo a Folha apurou.

O Globo
Oposição tenta impedir governo de suspender intervenção para aprovar reforma da Previdência
RIO – Dois parlamentares da oposição entraram com mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF), na tarde deste domingo, na tentativa de impedir que o governo suspenda temporariamente a intervenção no Rio para aprovar a reforma da Previdência. O recurso é de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) e do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que participaram da elaboração da Constituição de 1988. Segundo eles, ao revogar a intervenção com o objetivo de aprovar uma emenda, o presidente Michel Temer estaria “burlando” a Constituição e abriria “precedentes perigosíssimos ao país.”

Uol Notícias
Suspender intervenção para votar Previdência seria fraude, dizem especialistas
A suspensão do decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro para permitir a votação da reforma da Previdência seria uma fraude que colocaria em dúvida a necessidade da medida, na opinião de professores em Direito Constitucional consultados nesta sexta-feira (16) pelo UOL.

El País
Intervenção federal: um conveniente impedimento da reforma da Previdência
A decisão do presidente Michel Temer de decretar uma intervenção federal inédita na segurança pública do Rio de Janeiro até o fim de 2018 pode enterrar de vez a possibilidade da reforma da Previdência ser votada neste ano. Isso porque, enquanto a intervenção vigorar, nenhuma alteração na Constituição poderá ser feita, inclusive as propostas de emenda constitucional (PEC) como a da mudança da aposentadoria.

 

 

Câmara dos Deputados
Decreto sobre intervenção federal no Rio dificulta votação da reforma da Previdência, afirma Maia
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou nesta sexta-feira (16), em entrevista coletiva, que a votação da autorização ou não do decreto presidencial sobre intervenção federal na área de segurança pública no estado do Rio de Janeiro restringe o calendário de votação da reforma da Previdência (PEC 287/16). Maia lembrou que o decreto impede o Congresso de aprovar emendas constitucionais, como a da Previdência, cuja retomada de análise na Câmara estava prevista para a próxima segunda-feira (19). A Constituição Federal não pode ser emendada durante a decretação de estados de sítio, de defesa ou de intervenção federal.

ANDES
NOTA DA DIRETORIA DO ANDES-SN SOBRE A INTERVENÇÃO MILITAR NO RIO DE JANEIRO

A diretoria do ANDES-SN condena veementemente, e conclama a todo(a)s a lutar contra a intervenção militar decretada pelo ilegítimo governo Temer no estado do Rio de Janeiro, a partir de negociações com o governador Pezão. Com mais essa medida autoritária, que se junta a outras tantas já realizadas, o governo federal transita por um caminho perigoso que aponta na direção da criminalização e da militarização da sociedade, dos movimentos sociais populares e da população pobre e negra.

'+
1
'+
2 - 3
4 - 5
6 - 7
8 - 9
10 - 11
12 - 13
13 - 14
[x]