Notícias

Associados da ADUnB são destaques na Catalunha

Dois professores da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB) foram destaque na Espanha. Remi Castioni, professor da Faculdade de Educação, foi convidado e eleito presidente da Associação de Pesquisadores e Estudantes Brasileiros na Catalunha  (APEC), associação sem fins lucrativos. Tânia Montoro, professora aposentada da Faculdade de Comunicação, está sendo homenageada no evento de cinema que leva o seu nome este ano: a Mostra de Cinema Brasileiro Tânia Montoro.

A Mostra é uma iniciativa conjunta da APEC e do Centro Cultural do Brasil em Barcelona, com o apoio Consulado-Geral do Brasil em Barcelona e da Escola Oficial de Idiomas Barcelona Drassanes.

O processo para escolha do presidente da APEC foi realizado no final do ano passado. Castioni foi convidado para exercer o cargo de presidente (uma representação voluntária), devido à sua participação em um seminário da Associação. “Temos muitos brasileiros que circulam por aqui, estudantes bolsistas da CAPES e do CNPQ e docentes que realizam seus doutorados ou pós-doutorados, que é o meu caso. A associação está comemorando 30 anos de existência e tem o papel de agregar professores e estudantes no sentido de compartilhar as experiências, produções acadêmicas que estão realizando, sempre fazendo essa conexão com o Brasil”, explica o professor.

A homenageada Tânia Montoro é doutora em comunicação pela Universidade Autônoma de Barcelona (UAB) e pós-doutora pelo Instituto de Cinema de Amsterdã. Além disso, trabalhou como curadora do Festival de Cinema de Brasília nas últimas duas décadas e é membro fundador da Sociedade de Estudos de Cinema e do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de Brasília (UnB). Montoro, junto a Armando Bulcão, encerraram a Mostra com o documentário Hollywood no Cerrado, do qual são codiretores.

“É uma honra homenagear a Tânia neste ano com o seu nome no título da Mostra. A homenagem tem a ver com a sua trajetória e a sua recente decisão de se aposentar da UnB. Então, é uma forma de reconhecer o seu trabalho e a contribuição que ela deu para a UnB e aqui também, onde ela tem um espaço enorme de reconhecimento merecido”, afirmou Castioni.

Montoro foi uma das pioneiras da APEC e participou da diretoria. “Foi uma alegria! Tenho 44 anos de magistério ministrei aulas para o ensino fundamental, médio, superior, e hoje coordeno a linha de pesquisa em imagem e som do mestrado e doutorado da Faculdade de Comunicação da UnB. Tenho um carinho especial pela cultura Espanhola, fui aluna da Uab com convênio e fui uma das militantes da APEC. Fico feliz em ver dois associados da ADUnB em destaque, eu e o também colega e presidente da APEC, Remi Castioni”, celebrou Montoro.

MOSTRA DE CINEMA
A Mostra conta com cinco filmes com diferentes perspectivas e diversidade do patrimônio cultural brasileiro. O cinema do Brasil possui uma produção de mais de 120 anos de história. “O objetivo da Mostra é criar oportunidade por meio da APEC para a participação dos estudantes e pesquisadores brasileiros para discutir essas questões e também as que se passam no Brasil. Nesse ano, a agenda de eventos inclui também o seminário Mulher e Ciência, em junho, e o Seminário Anual da APEC, em outubro, que vai discutir a crise na Universidade Brasileira à luz da experiência catalã”, detalha Castioni.

“A Universidade hoje no Brasil vive um momento de crise que foi decorrente de uma medida bastante dura, adotada com relação aos financiamentos e, principalmente, onde a UnB se vê restringida de utilizar de sua capacidade e de gerar receita própria para honrar seus compromissos. Essa situação não encontra paralelo aqui, as universidades daqui tem total liberdade de mobilizar recursos”, conclui o professor.

Confira a programação:

Flores Raras  -Dir. Bruno Barreto

25 de maio –  Centro de Estudos Brasileiros / Centro Cultura do Brasil em Barcelona

 

Narra o romance entre a brasileira Lota de Macedo Soares, idealizadora do Parque do Flamengo, e a americana Elizabeth Bishop, considerada uma das maiores poetisas da língua inglesa. As personagens são vividas respectivamente por Glória Pires e pela australiana Miranda Otto, a princesa Éowyn da saga “O Senhor dos Anéis”. Flores Raras traz à tona a questão da homossexualidade em uma época em que o preconceito era ainda maior que nos dias de hoje, nas décadas de 50 e 60.


Aquarius, dir. Kleber Mendonça Filho
1º de junho – Centro de Estudos Brasileiros / Centro Cultura do Brasil em Barcelona

Clara (Sonia Braga) tem 65 anos, é jornalista aposentada, viúva e mãe de três adultos. Ela mora em um apartamento localizado na Av. Boa Viagem, no Recife, onde criou seus filhos e viveu boa parte de sua vida. Interessada em construir um novo prédio no espaço, os responsáveis por uma construtora conseguiram adquirir quase todos os apartamentos do prédio, menos o dela. Por mais que tenha deixado bem claro que não pretende vendê-lo, Clara sofre todo tipo de assédio e ameaça para que mude de ideia.


Hollywood no Cerrado, dir. Tânia Montoro
11 de junho – no prédio histórico da Universidade de Barcelona

O documentário traça uma nova perspectiva sobre a ocupação do Centro Oeste do Brasil por meio de histórias pouco conhecidas. Narrado na forma de um almanaque audiovisual, o filme retrata as transformações culturais, econômicas e midiáticas anteriores à transferência da capital do Brasil para Brasília. Animações e depoimentos revelam a história de vida de sertanejos, missionários, imigrantes europeus, sírio-libaneses, norte-americanos e de astros de Hollywood que desbravaram o velho Centro-Oeste em busca da Terra Prometida. Dir Armando Bulcão e Tânia Montoro.

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: Janaína Guimarães – ASC/ADUnB.

'+
1
'+
2 - 3
4 - 5
6 - 7
8 - 9
10 - 11
12 - 13
13 - 14
[x]