Notícias

ADUnB inaugura o Tesourômetro de Brasília

Nesta quarta-feira, dia 09 de agosto, a Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB) realizou no Auditório da Associação a cerimônia de inauguração do Tesourômetro, painel que mede o quanto já foi perdido no orçamento para Ciência, Tecnologia e Inovação.

Na abertura do evento, o presidente da ADUnB, Virgílio Arraes, alertou sobre a importância desse tipo de ação e a necessidade de ampliar para todo o Brasil.“A ADUnB fica satisfeita em participar desse tipo de movimentação em prol da Ciência, Tecnologia e Inovação, nós esperamos que essa iniciativa chame a atenção e agregue outras associações, sindicatos e órgãos. O nosso movimento é suprapartidário e em benefício da sociedade”, frisou Arraes.

O professor e presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, Ildeu de Castro Moreira, alertou os presentes em seu discurso quanto a importância do painel. “Esse é o terceiro Tesourômetro, um importante instrumento para a comunidade científica alertar a população, pois esses cortes são ameaças fortes para o futuro do nosso país. Em países desenvolvidos em crise a área de Ciência, Tecnologia e Inovação não sofrem cortes, pois são entendidas como primordiais por seus governos. Tirando esse investimento como iremos alcançar sucesso na saúde pública, descobrir curas e tratamentos e lidar com epidemias”, alertou Moreira.

A diretora da Academia Brasileira de Ciências Márcia Barbosa analisou o cenário histórico mundial. Ela lembrou os presentes dos avanços importantes e recordou que a plateia presente não estaria viva. “Nós aqui, se estivéssemos na idade média, não estaríamos vivos aqui nesse momento, pois os avanços científicos erradicaram epidemias. Esse corte no orçamento afeta profundamente o conhecimento que passa por desenvolvimento científico e tecnológico”, concluiu Barbosa.

O funcionamento do Tesourômetro foi explicado pelo economista e professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro e vice-presidente da Adufrj, Carlos Frederico Leão Rocha. “O cálculo é feito com base no orçamento dos seguintes órgãos Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação; Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, os valores dos salários dos servidores são excluídos do cálculo, são pegos apenas os valores de custeio de investimentos aprovados nas Leis Orçamentárias de 2015, 2016 e 2017, que são os alvos dos cortes orçamentários. Por hora, perdemos cerca de 500 mil reais em investimentos, 8 mil por minuto”, concluiu Rocha.

Após o lançamento do painel e palestra foi realizado um coquetel para os presentes refletirem sobre o tema tratado. O evento foi transmitido em tempo real na página da ADUnB, reveja aqui.

O evento contou com as presenças das seguintes autoridades: presidente SBPC Ildeu de Castro Moreira; vice-presidente PROIFES Flávio Silva; representando a magnífica reitora da Universidade de Brasília, o chefe de gabinete Paulo César Marques da Silva; presidente da Sociedade Brasileira Sociologia Carlos Benedito Martins; presidente da Associação Brasileira de Antropologia Lia Zanota Machado; representante do deputado distrital Claudio Abrantes, Amaury Pessoa; presidente da Associação de Pós-Graduandos Tamara Naiz; representante do deputado Celso Pansera Daniel Alvão; presidente do Sintfub Mauro Mendes; membros da diretoria do ANDES Claudia Durans e Epitácio Macário; diretor Sind-Proifes Reginaldo Soeiro; diretora de assuntos educacionais ADUFG Geovana Reis; diretor da APUBH José Lopes de Siqueira Neto; coordenador de licitações do Ministério da Cultura Alexandre Moreira.


CAMPANHA

O primeiro Tesourômetro foi instalado na Universidade Federal do Rio de Janeiro, no dia 22 de junho, e o segundo na Universidade Federal de Minas Gerais no dia 18 de julho. A inauguração do terceiro painel fortalece a campanha de mobilização pública Conhecimento Sem Cortes, uma iniciativa que reúne cientistas, docentes,  estudantes, pesquisadores e técnicos das universidades e institutos de pesquisa para alertar a sociedade sobre a crise que passa o setor no país.

O objetivo da campanha é monitorar e denunciar os cortes de orçamento e suas consequências negativas para a sociedade brasileira, além de sensibilizar a população para o que se produz nas universidades e nos institutos de pesquisa.

As primeiras articulações da campanha se deram com a organização das atividades da Marcha da Ciência, movimento internacional que aqui no Brasil contou com a participação das comunidades científicas de mais de 20 cidades.

 

A campanha Conhecimento Sem Cortes é uma realização: ADUFRJ, ADUnB, SBPC, APUBH, SINTIFRJ.

PETIÇÃO
Participe da campanha, assine a petição contra o desmonte que ameaça a universidade pública e a área de ciência, tecnologia e inovação. Compartilhe os conteúdos pelas redes sociais e acompanhe os eventos e o tesourômetro em Brasília, na 608 Sul.

Saiba mais: http://www.conhecimentosemcortes.org.br/

Confira as fotos do evento: https://www.flickr.com/photos/adunboficial/

 

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: ASC/ADUnB. Crédito para fotos: ASC/ADUnB.

'+
1
'+
2 - 3
4 - 5
6 - 7
8 - 9
10 - 11
12 - 13
13 - 14
[x]